Hiperplasias sebáceas

O que é

 

Consistem de pequenas pápulas na face, com uma depressão (umbilicação) central de 2 a 4mm de diâmetro, cor amarelada ou da pele. Geralmente são múltiplas e surgem mais comumente após os 40 anos de idade. São lesões benignas e o tratamento pode ser feito apenas por questões estéticas. É mais comum em pessoas de pele clara e oleosa.
Originam-se da multiplicação e aumento de tamanho de glândulas sebáceas, são relativamente comuns e assintomáticas. As áreas mais afetadas são a frontal, nariz e bochechas. A causa seria provavelmente a diminuição dos hormônios androgênicos associados ao envelhecimento.

 

Existe um tipo chamado hiperplasias sebáceas do recém-nascido, que podem ocorrer no dorso do nariz e lábio superior do recém-nascido sobre a forma de pápulas pequenas e esbranquiçadas. Isso acontece devido à hiperatividade sebácea decorrente de estímulo de hormônios masculinos e que desaparecem espontaneamente em algumas semanas, não necessitando de tratamento.

 

O diagnóstico é clínico e devem ser diferenciadas de carcinoma basocelular e do molusco contagioso, principalmente. Na dúvida, pode ser feita uma biópsia seguida de exame histopatológico, que confirma o diagnóstico.

 

Tratamento

 

Pode ser tratada com a aplicação de ácidos como o tricloroacético, em concentrações de 50 a 70% aplicado sobre as lesões. Provoca um ardor temporário com posterior escurecimento das lesões e formação de crostas que caem sozinhas depois de alguns dias. Normalmente é necessário mais de uma sessão de tratamento.

 

Outra opção terapêutica é a eletrocoagulação superficial e curetagem (raspagem) das lesões, sob anestesia local.

 

Pode ainda ser tratada através da criocirurgia com nitrogênio líquido, que faz o congelamento das lesões que acabam necrosando e se destacando.

 

Essas terapias tem o inconveniente de poder trazer despigmentação ou uma pequena cicatriz residual no local.

 

É possível também o tratamento com lasers, principalmente o laser de CO2 e de Erbium, e a Terapia Fotodinâmica.

 

Uma opção não cirúrgica seria com a isotretinoina via oral, em um tratamento em torno de 4 a 6 semanas, mas as lesões podem recidivar quando a medicação é suspensa. Além disso, devem ser levadas em conta as contraindicações e efeitos colaterais deste método. Se as lesões não forem totalmente retiradas podem recidivar após tratamento.

 

Se essas lesões te incomodam, procure seu dermatologista, pois elas são facilmente tratáveis!

Sobre

A Clínica Sandra Freitas oferece uma ampla variedade de tratamentos dermatológicos e de estética. Conheça alguns de nossos procedimentos e agende uma consulta de avaliação.

Post Recentes
Redes Sociais
WhatsApp chat