Herpes simples e herpes genital

O herpes simples é uma doença muito comum causada por um vírus chamado herpesvirus hominis. Há dois tipos de vírus: o tipo I, que causa lesões na face e tronco, e o tipo II, que causa infecção genital, geralmente de transmissão sexual. Admite-se que a maioria da população adulta já tenha adquirido imunidade ao herpesvirus I na infância ou na adolescência, tendo tido uma infecção assintomática, criando resistência ao vírus pelo resto da vida. A transmissão da doença ocorre por contato pessoal, as partículas de vírus infectam através das mucosas (por exemplo, o beijo) ou por soluções de continuidade na pele.

 

O herpesvirus II é transmissível por relação sexual com pessoa infectada, causando lesões nos genitais (pênis, vulva ou ânus) ou áreas próximas, como as nádegas. A primeira infecção no adulto surge de 5 a 10 dias após o contato sexual e se manifesta como pequenas bolhas agrupadas doloridas. Além disso, pode ser acompanhada de dor de cabeça, febre e gânglios inflamados. Geralmente, regride em torno de duas semanas.

 

Frequentemente, as lesões recidivam e cada surto pode durar de 5 a 10 dias. As lesões podem ser discretas ou graves, de acordo com o estado imunológico do indivíduo. Podem ser prevenidas com o uso de preservativos nas relações sexuais.

 

Quando a infecção ocorre?

 

A primeira infecção pelo vírus tipo I ocorre em pessoas que nunca tiveram contato com o vírus, em geral crianças de 1 a 5 anos de idade. Entretanto pode passar despercebida, fazendo com que o indivíduo se torne um portador assintomático do vírus. Normalmente ocorre infecção nos lábios e na boca, denominada gengivo estomatite herpética. Formam-se vesículas que se rompem causando ulcerações superficiais, o que pode tornar a alimentação difícil. Em pequena porcentagem dos indivíduos, a infecção pode ser grave e se prolongar por semanas.

 

Após a primeira infecção, o vírus pode ficar latente em gânglios e, quando reativado, retorna a pele ou mucosa causando recidivas. O herpes recidivante é comum em adultos e pode surgir em qualquer área da pele ou mucosa, onde houve a contaminação inicial. Os primeiros sintomas são sensação de ardor ou coceira local. Em seguida, formam-se as vesículas (pequenas bolhas), a área fica avermelhada, as bolhas criam pus, se rompem e formam feridas cobertas de crostas, que depois ressecam e se destacam.

 

O local mais comum são os lábios. Assim, os fatores desencadeantes podem ser traumas, exposições solares, estresse, menstruação e infecções com queda da imunidade. Normalmente, as lesões duram de uma a duas semanas. As lesões são contagiosas na fase de vesículas, mas, quando as crostas caem, já não há mais risco de contágio.

 

Tratamento

 

O tratamento é feito, geralmente, com cremes de aciclovir ou penciclovir, aplicados várias vezes ao dia nas lesões. No entanto, também pode ser feito com antivirais via oral como, por exemplo, aciclovir, famciclovir e valaciclovir, principalmente em casos mais graves.

 

O herpes, em pacientes imunocompetentes, é uma doença autolimitada e que regride espontaneamente. Entretanto, causa bastante desconforto, além do fato de ser contagiosa. Portanto deve ser tratada assim que surgirem os primeiros sintomas para diminuir sua intensidade e duração.

 

Consulte sempre um dermatologista para indicar o melhor tratamento!

Sobre

A Clínica Sandra Freitas oferece uma ampla variedade de tratamentos dermatológicos e de estética. Conheça alguns de nossos procedimentos e agende uma consulta de avaliação.

Post Recentes
Redes Sociais
WhatsApp chat