Melanoses solares ou manchas senis

Melanoses solares ou manchas senis são manchas castanho claras ou escuras, que podem ter desde alguns milímetros até 1,5 centímetros e surgem em áreas expostas ao sol.

 

Normalmente, aparecem na face, mãos, antebraços, decote, couro cabeludo de homens calvos e entre outras.

 

Causas

 

As manchas ocorrem devido a um aumento do número e da atividade dos melanócitos (células que produzem o pigmento da pele, a melanina). Além disso, pode surgir por dano solar crônico decorrente da exposição frequente à radiação solar, que vai danificando as células e alterando-as no decorrer dos anos. Algumas vezes têm a superfície rugosa e podem estar associadas a queratoses actínicas.

 

São mais comuns em pessoas de pele clara, após os 40 anos de idade ou idosos que se expuseram excessivamente ao sol sem a proteção adequada quando mais jovem. Isso porque o dano solar tem efeito cumulativo na pele e vai se manifestar com o passar dos anos. São lesões benignas e assintomáticas, o tratamento é feito apenas por questões estéticas, já que é um sinal de envelhecimento da pele.

 

Tratamento

 

Seu tratamento, antes do advento do uso dos lasers na Dermatologia, era feito com a aplicação de neve carbônica ou nitrogênio líquido sobre as lesões. Elas eram queimadas e, posteriormente, descamavam. Além disso, podia ser tratada com a aplicação de ácidos como o tricloroacético na forma de peelings ou pastas.

 

Com o advento dos lasers, o tratamento se tornou muito mais efetivo e de resultados muito melhores. Os lasers mais usados para tratar as melanose solares são a Luz Intensa Pulsada, que tem como alvo o pigmento de melanina, absorvido por essa luz e destruído. Outro laser bastante utilizado é o Q switched, que é específico para clarear pigmentos e manchas, inclusive as de difícil remoção e em peles mais escuras. Este laser usa alta energia em pulsos muito rápidos fragmentando o pigmento sem lesar os tecidos vizinhos.

 

São procedimentos simples e rápidos, feitos no consultório dermatológico, sem necessidade de anestesia local e com pouco desconforto. Inicialmente, as manchas ficam mais escuras e depois de alguns dias descamam. São necessárias de 1 a 3 sessões mensais, de acordo com a quantidade de manchas, sua coloração e profundidade.

 

Nos intervalos entre as sessões, podem ser usados em casa cremes clareadores contendo hidroquinona, arbutin, ácido tranexamico, ácido kojico, ácido retinóico, ácido fítico, entre outros. No entanto, estes cremes não são capazes de remover os pigmentos profundos, atuando somente na camada mais superficial da pele.

 

Independentemente do tratamento escolhido é fundamental o uso diário e frequente de fotoprotetores com FPS 30 ou mais. Pois estas manchas indesejáveis tendem a reaparecer, especialmente se não for feita uma fotoproteção adequada. Indica-se que seja feita uma sessão anual de tratamento como manutenção.

 

É necessária a avaliação de um dermatologista experiente para que esses tratamentos sejam realizados com equipamentos e técnica adequados, a fim de não provocarem manchas claras ou cicatrizes inestéticas. Consulte sempre um Dermatologista!

Sobre

A Clínica Sandra Freitas oferece uma ampla variedade de tratamentos dermatológicos e de estética. Conheça alguns de nossos procedimentos e agende uma consulta de avaliação.

Post Recentes
Redes Sociais
WhatsApp chat