Pitiríase Rósea, Versicolor e Alba

Pitiríase rósea

 

É uma erupção cutânea frequente, de causa desconhecida e não contagiosa. Pode ser observada em ambos os sexos, sendo mais frequente em adultos jovens. Surge, principalmente, nos meses de primavera e outono, mas, em algumas regiões, é mais frequente no verão.

 

Caracteriza-se por manchas avermelhadas, ovaladas e descamativas que atingem, principalmente, o tronco, espalhando-se para o pescoço e membros. Raramente afetam a face. Em geral, se inicia com uma lesão maior, chamada de medalhão, e, em alguns dias, se espalha com lesões menores de forma centrifuga para o tronco, pescoço e as raízes dos membros.

 

É uma dermatose autolimitada, pois, geralmente, regride espontaneamente em torno de 6 a 8 semanas, quando as lesões clareiam e desaparecem sem deixar cicatrizes. Costuma ser assintomática e não requer tratamento. No entanto, alguns pacientes referem coceira, que pode ser melhorada com o uso de anti-histamínicos via oral e cremes hidratantes ou de corticoides.

 

Pitiríase versicolor

 

É uma micose causada por um fungo chamado Malassezia furfur e compromete adultos de ambos os sexos, sendo menos frequente em crianças e idosos. Apresenta-se como manchas descamativas, arredondadas ou ovais que podem ter a cor branca, vermelha ou castanha. Muitas vezes tornam-se evidentes após exposição solar e em um mesmo indivíduo pode haver lesões de cores diferentes. As lesões são múltiplas e de formatos variáveis, que podem confluir e atingir grandes áreas do corpo. Situam-se, normalmente, no pescoço, tórax e membros superiores. Acometem, com frequência, o couro cabeludo, onde podem passar despercebidas.  É comum causar coceira.

 

Para confirmação diagnóstica, pode ser feito o exame micológico (raspagem das lesões para se observar a presença do fungo ao microscópio). No entanto, geralmente, as lesões são características e o diagnostico é facilmente feito por um dermatologista, sem necessidade de exames.

 

Há predisposição constitucional e muitas pessoas apresentam vários episódios desta micose no decorrer da vida. É mais comum em pessoas que transpiram muito, pois a umidade favorece a proliferação do fungo.

 

O tratamento pode ser feito com o uso de antimicóticos tópicos como, por exemplo, tioconazol ou isoconazol ou shampoo com sulfeto de selênio por 15 a 30 dias. Além disso, pode ser preferido o uso de antimicóticos via oral como o itraconazol, cetoconazol ou fluconazol.

 

Pitiríase Alba

 

É uma dermatose muito frequente em crianças e adolescentes, de causa desconhecida, não contagiosa. Acredita-se que a luz solar tenha ação desencadeante, mas é mais frequente em pessoas alérgicas, portadoras de asma, bronquite, rinite alérgica ou eczema atópico. O ressecamento da pele, banhos prolongados e uso excessivo de sabonetes são tidos como fatores causais. São manchas claras, levemente descamativas, de tamanhos variáveis, localizadas na face, parte superior das costas e ombros, áreas expostas dos braços e eventualmente em outras áreas. Surgem, geralmente, no verão, após exposição solar em praias ou piscinas. É comum apresentar períodos de remissões e reaparecimento das lesões.

 

Não há tratamento efetivo, mas recomenda-se manter sempre a pele hidratada com uso contínuo de cremes hidratantes, evitar exposição prolongada ao sol, usar cremes foto protetores e restringir o uso de sabonetes.

Sobre

A Clínica Sandra Freitas oferece uma ampla variedade de tratamentos dermatológicos e de estética. Conheça alguns de nossos procedimentos e agende uma consulta de avaliação.

Post Recentes
Redes Sociais
WhatsApp chat