Rosácea

A rosácea é uma doença crônica e de causa desconhecida. É caracterizada por eritema (vermelhidão), edema (inchaço), telangiectasias (vasinhos sanguíneos) e pápulas, que podem ser acompanhadas por pústulas e nódulos. Afeta a pele, principalmente, da região centro facial. A rosácea inicia-se entre 30 e 40 anos de idade e é mais frequente em mulheres do que em homens. Entretanto, em geral, o quadro é mais localizado e moderado em mulheres, enquanto formas mais extensas e graves são encontradas nos homens.

 

Há uma resposta vascular alterada na rosácea, responsável pelos surtos de vermelhidão na face. No princípio de duração curta, mas, aos poucos, se prolongando até o eritema permanente. Com a evolução, surgem os demais elementos do quadro clínico.

 

Na fase pré rosácea, há vermelhidão discreta na face, que se agrava com surtos de duração variável. Surgem espontaneamente ou então pela ação de fatores como, por exemplo, luz solar, calor, frio, vento, álcool e alimentos quentes.

 

Tipos

 

De acordo com a frequência dos surtos e o desenvolvimento das lesões, podem-se distinguir quatro formas clínicas ou graus:

  • Rosácea eritêmato-telangiectásica (Grau I): há vermelhidão persistente e telangiectasias (vasos sanguíneos) que afetam a área centro-facial, com surtos agravantes por fatores já referidos;
  • Rosácea pápulo-pustulosa (Grau II): nas áreas de vermelhidão, surgem pápulas e pústulas;
  • Rosácea infiltrativa-nodular (Grau III): desenvolvem-se placas avermelhadas, particularmente na região mentoniana e nasal. Surgem nódulos por hiperplasia sebácea, eventualmente inflamatórios e podem aparecer abscessos;
  • Rosácea fulminans (Grau IV): quadro agudo, de aparecimento súbito, com intensa reação inflamatória, com nódulos e abscessos. Foi descrito com a denominação de pioderma facial.

 

Todas as causas agravantes ou desencadeantes devem ser afastadas, como bebidas alcoólicas, exposição solar, vento, frio e ingestão de alimentos quentes.

 

Tratamento

 

A pele do paciente com rosácea é muito sensível a produtos químicos. Portanto, inicia-se o tratamento com sabonetes neutros, cremes calmantes e protetor solar, que devem sempre ser utilizados. A introdução de antibióticos tópicos e terapia sistêmica é útil no controle das lesões pápulo-pustulosas, sendo sempre orientada pelo médico dermatologista. Além disso, pode ser feito o uso do metronidazol tópico ou sistêmico para diminuir a inflamação.

 

Na Clínica Sandra Freitas, além da medicação tópica e sistêmica, indicamos sessões de Luz Intensa Pulsada, que contribui para uma pele com menos vasos e menos eritematosa (vermelha). A quantidade de sessões pode variar de acordo com a necessidade do paciente, sendo realizada uma vez por mês.

 

Agende uma consulta com o dermatologista, somente ele pode avaliar o grau da rosácea e o tratamento indicado para cada caso.

Sobre

A Clínica Sandra Freitas oferece uma ampla variedade de tratamentos dermatológicos e de estética. Conheça alguns de nossos procedimentos e agende uma consulta de avaliação.

Post Recentes
Redes Sociais
WhatsApp chat