Intradermoterapia

A intradermoterapia é um procedimento introduzido pelo médico francês Dr. Pistor, em 1958, e baseia-se na aplicação de injeções intradérmicas de substancias farmacológicas diretamente na região a ser tratada. O objetivo é estimular o tecido pela ação da própria puntura bem como pela ação dos fármacos, sem haver absorção sistêmica, pois a absorção e o efeito são localizados. É também conhecida pelo nome de Mesoterapia. A filosofia da intradermoterapia é a de realizar o tratamento no local da doença para aumentar o efeito terapêutico, tratando a lesão no local onde ela se encontra. Injetam-se doses mínimas de medicamentos, evitando os efeitos colaterais que grandes doses poderiam causar.

 

Atualmente tem sido usada na Dermatologia para tratamento de queda de cabelos, gordura localizada, celulite, estrias, revitalização da pele e queloides.

 

São feitas injeções superficiais nas áreas a serem tratadas com agulhas finas e curtas (4 mm) em sessões semanais ou quinzenais, nas quais injeta-se, geralmente, uma mistura de substâncias (melange) escolhidas de acordo com o tipo de tratamento a ser realizado. A atividade do medicamento injetado persiste no local por longo tempo. Sua difusão é lenta, o que promove um reservatório cutâneo persistente obtendo-se um efeito mais duradouro e acarretando uma maior biodisponibilidade dos fármacos injetados e menos efeitos colaterais.

 

Geralmente, sugere-se de 5 a 10 sessões de tratamento. Antes das injeções aplicamos um creme anestésico de uso local para minimizar o desconforto.

 

Para melhora de qualidade da pele podem ser usados ativos como ácido hialurônico, vitaminas, antioxidantes, silício, DMAE e clareadores. Para estrias, especialmente as recentes, podem ser usados ácido hialurônico, glicosaminoglicano, centelha asiática, silício e vitamina C.

 

Quando queremos melhorar a celulite os produtos mais usados são centelha asiática, L-carnitina, cafeína, silício, melilotus e rutina, que melhoram a microcirculação e inflamação local.

 

Nos casos de queda de cabelo têm sido usados minoxidil, finasteride, biotina, D- pantenol, silício e aminoácidos.

 

Para gordura localizada as aplicações devem ser mais profundas, no subcutâneo. Podem ser tratadas a gordura sub mentoniana (papada), abdômen, joelhos, coxas e glúteos. Os produtos que proporcionam melhor resultado são à base de fosfatidilcolina, associada a ácido deoxicolico, que agem como emulsionantes (detergentes) das gorduras.

 

As aplicações podem provocar dor, vermelhidão e áreas de pequenos hematomas, que são temporários. A escolha dos princípios ativos a serem usados é do médico e deve haver compatibilidade entre eles. Portanto, depende da experiência profissional do injetor, do domínio da técnica correta e plano correto de aplicação, e do conhecimento técnico dos ativos que estão sendo injetados. Cuidados de assepsia são fundamentais para não haver introdução na pele de bactérias ou fungos. Fique atento com aplicação de “enzimas”, pois são altamente sensibilizantes podendo ocasionar reações alérgicas graves. Aplicações muito superficiais de determinadas substâncias podem acarretar necrose tecidual, evoluindo com cicatrizes. Os produtos injetados devem ser aprovados pela ANVISA.

 

Somente o médico treinado pode fazer uma aplicação segura, pois tem domínio das técnicas de aplicação, da farmacologia dos produtos injetados e é capaz de tratar qualquer evento adverso.

Sobre

A Clínica Sandra Freitas oferece uma ampla variedade de tratamentos dermatológicos e de estética. Conheça alguns de nossos procedimentos e agende uma consulta de avaliação.

Post Recentes
Redes Sociais
WhatsApp chat